Tapete

Tapete

sábado, 18 de dezembro de 2010

MASSA DE PAPEL MACHÊ

Receita de papel machê

Ingredientes:
01 rolo de papel higiênico picado;
02 copos com água;
½ copo com cola;

Utensílios:
01 vasilha plástica;
01 copo tipo americano;
01 peneira;
01 Espátula;

Modo de fazer:
Pique o papel higiênico e coloque em na vasilha de plástico e adicione os dois copos com água e deixe cerca de 10 minutos, retire a água completamente, com o auxilio de uma peneira, em seguida, acrescente ½ copo de cola e misture bem, até ficar uma massa homogênea. E está pronta a massa de papel machê.
Segui abaixo fotos algumas idéias que tive para trabalhar com o papel machê - utilizei como suporte para a estrutura de cada objeto somente sucata como: tapinha de creme dental, vidro de desodorante, garrafinhas de leite fermentado etc.  Divirtam-se!!! 










Encontrei no You Tube esse video ótimo.


Nesse link vocês poderam ver passo a passo
Artesanato em Papel Mache (Hand Crafts) - Bonecos 1ª Parte

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

UMA AULA DE POLITICA E HISTÓRIA

Em 2008 a atriz Agnes Zuliani deu uma aula de história e politica na pele da Senadora Biônica - Terça Insana. Ela fala de forma inteligente da ditadura militar no Brasil. É simplismente fantástico!!

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Trote Solidário

O Trote Solidário foi realizado em 2010 uma iniciativa do CAPe e em colaboração com o PET Educação e a Coordenação do curso de pedagogia - UFMT.



Semana da C&T - PET EDUCAÇÃO IE/UFMT

OFICINA: A Semana de C&T: e a Educação Ambiental nas series inicias com jogos, brinquedos e brincadeiras feitos de sucatas.

Pretendia-se com essa proposta viabilizar parte dos objetivos apresentados pela educação ambiental, destacando as relações culturais, com o estímulo e o fortalecimento de uma consciência crítica sobre a problemática ambiental e social. Com o intuito de capacitar recursos humanos para atuarem como agentes multiplicadores nos debates sobre temas ambientais, com foco no emprego de jogos, brinquedos e brincadeiras.













quinta-feira, 30 de setembro de 2010

UMA ORAÇÃO INFORMAL

“O homem deve orar”, disse o diácono Oliveira, “é de joelhos, não há outra maneira.”
“Eu já diria que a maneira correta”, retrucou o reverendo Amadeus, “é com os braços para cima e os olhos, em êxtase, voltados para o céu.”
“Não é nada disso.” Disse o Elder Paixão, “isso demonstra orgulho! O homem deve orar com os olhos fechados, e a cabeça baixa, em contrição.”
“Acho que as mãos devem estar postas à frente, junto ao peito. Os dedos devem estar cruzados.” Disse o reverendo Barreto.
“Pois eu caí dentro dum poço de cabeça para baixo,” disse Ciro Leonardo. “Com os pés para cima, e a cabeça afundando, e fiz uma oração naquela posição; a melhor oração de toda a minha vida; a oração mais orada, aquela mais sentida.”

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

EDUCAÇÃO INFANTIL

Consulta Pública sobre Orientações Curriculares Nacionais da Educação Infantil
As Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Infantil, aprovadas em 17 de dezembro de 2009 determinam que cabe ao Ministério da Educação elaborar orientações para a implementação dessas diretrizes.

Visando atender essa determinação, a Secretaria de Educação Básica, por meio da Coordenação Geral de Educação Infantil, está elaborando orientações curriculares num processo de debate democrático e com consultoria técnica especializada sobre diferentes eixos e experiências da educação infantil. No período de 13 de setembro a 30 de outubro você pode enviar suas sugestões, críticas e propostas.

MAIORES INFORMAÇÕES ACESSO O LINK: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=15860&Itemid=1096

ADESÃO


Também aderi... Participe, precisamos de 30 milhões de assinaturas na petição. Acesse o site, conheça e assine a petição você também!      http://www.marque1gol.org.br/

A PETIÇÃO

Ao assinarem a petição, os cidadãos e cidadãs de todo mundo apóiam as seguintes exigências globais:

1. Os países desenvolvidos devem garantir os recursos financeiros aos quais se comprometeram a destinar em benefício do cumprimento do Tratado Educação para Todos;
2. Os países desenvolvidos devem apoiar um plano de coordenação global para atingirmos melhores resultados;
3. Os países desenvolvidos devem tornar disponível ajuda externa para os custos correntes da educação: professores, livros e escolas;
4. Os países desenvolvidos devem ter como foco de cooperação os países que enfrentam os maiores desafios em relação à garantia do direito à educação, incluindo aqueles em situação de guerra e conflito;
5. Países em desenvolvimento devem destinar 20% do seu orçamento público para políticas de educação, sendo 50% destes destinados para a escola primária;
6. Países em desenvolvimento devem abolir taxas e cobranças que impedem famílias de manterem suas crianças na escola;
7. Países em desenvolvimento devem promover a inclusão de meninas e outros grupos marginalizados de crianças a partir de programas especiais como merenda e bolsas;
8. Países em desenvolvimento devem contratar e formar todos os professores necessários ao cumprimento das metas do Tratado Educação para Todos;
9. Todos os países devem definir o investimento em educação com base nos recursos necessários a garantir a qualidade da educação ofertada a todos, garantindo salas de aula com menos de 40 alunos por professor, boa infraestrutura e professores, promovendo a aprendizagem.
10. Todos os países devem fazer do Educação para Todos um direito constitucional.

Os cidadãos brasileiros que assinam esta petição exigem que o Estado Nacional:

1. Inclua, até 2014, ocasião em que ocorrerá a próxima Copa do Mundo, todas as crianças e adolescentes de 4 a 17 na escola.
2. Torne o CAQi (Custo Aluno-Qualidade Inicial) a principal referência do financiamento público da educação. Isso significa um esforço imediato de vinculação de 1% do PIB, além do que já é investido, em educação básica pública. Segundo deliberação da Conae (Conferência Nacional de Educação) esse valor adicional deve ser empreendido via aumento da complementação da União ao Fundeb (Fundo de Manutenção Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos Profissionais da Educação).
3. Implemente integralmente a Lei do Piso Nacional Salarial dos Profissionais da Educação, Lei No. 11.738, de 16 de julho de 2008. Sem remuneração condigna dos profissionais do magistério não é possível consagrar o direito à educação pública de qualidade.

Retirado do site: http://www.marque1gol.org.br/

domingo, 26 de setembro de 2010

Palavra Cantada - Sopa

Palavra Cantada - Sai Preguiça

Palavra Cantada - O Rato

Criança Não Trabalha - DVD Pé com Pé

A Casa - VINICIUS DE MORAES

Toquinho - O Pato

AQUARELA TOQUINHO

Pindorama



Pindorama
Palavra Cantada


(Terra à vista!)

Pindorama, Pindorama
É o Brasil antes de Cabral
Pindorama, Pindorama
É tão longe de Portugal
Fica além, muito além
Do encontro do mar com o céu
Fica além, muito além
Dos domínios de Dom Manuel
Vera Cruz, Vera Cruz
Quem achou foi Portugal
Vera Cruz, Vera Cruz
Atrás do Monte Pascoal
Bem ali Cabral viu
Dia 22 de abril
Não só viu, descobriu
Toda a terra do Brasil
Pindorama, Pindorama
Mas os índios já estavam aqui
Pindorama, Pindorama
Já falavam tupi-tupi
Só depois, vêm vocês
Que falavam tupi-português
Só depois com vocês
Nossa vida mudou de uma vez
Pero Vaz, Pero Vaz
Disse em uma carta ao rei
Que num altar, sob a cruz
Rezou missa o nosso frei
Mas depois seu Cabral
Foi saindo devagar
Do país tropical
Para as Índias encontrar
Para as índias, para as índias
Mas as índias já estavam aqui
Avisamos: "olha as índias!"
Mas Cabral não entende tupi
Se mudou para o mar
Ver as índias em outro lugar
Deu chabu, deu azar
Muitas naus não puderam voltar
Mas, enfim, desconfio
Não foi nada ocasional
Que Cabral, num desvio
Viu a terra e disse: "Uau!"
Não foi nau, foi navio
Foi um plano imperial
Pra aportar seu navio
Num país monumental
Ao Álvares Cabral
Ao El Rei Dom Manuel
Ao índio do Brasil
E ainda quem me ouviu
Vou dizer, descobri
O Brasil tá inteirinho na voz
Quem quiser vai ouvir
Pindorama tá dentro de nós
Ao Álvares Cabral
Ao El Rei Dom Manuel
Ao índio do Brasil
E ainda quem me ouviu
Vou dizer, vem ouvir
É um país muito sutil
Quem quiser descobrir
Só depois do ano 2000

Fome come - Palavra Cantada




Fome Come
Palavra Cantada
Composição:
by Sandra Peres E Paulo Tatit

Gente eu tô ficando impaciente
A minha fome é persistente
Come frio come quente
Come o que vê pela frente
Come a língua come o dente
Qualquer coisa que alimente
A fome come simplesmente
Come tudo no ambiente
Tudo que seja atraente
É uma forma absorvente
Come e nunca é suficiente
Toda fome é tão carente
Come o amor que a gente sente
A fome come eternamente.
No passado e no presente
A fome é sempre descontente
Fome come fome come
Se vem de fora ela devora ela devora ela devora
(qualquer coisa que alimente)
Se for cultura ela tritura ela tritura
Se o que vem é uma cantiga ela mastiga ela mastiga
Ela então nunca discute só deglute só deglute
E se for conversa mole se for mole ela engole
Se faz falta no abdome fome come fome come
Gente eu tô ficando impaciente
A fome sempre é descontente
Toda fome é tão carente
Qualquer coisa que alimente
Come o amor que a gente sente come o amor que a gente sente

Palavra Cantada

Criança Não Trabalha
Palavra Cantada

Composição: Arnaldo Antunes e Paulo Tatit

Lápis, caderno, chiclete, pião
Sol, bicicleta, skate, calção
Esconderijo, avião, correria, tambor, gritaria, jardim, confusão
Bola, pelúcia, merenda, crayon
Banho de rio, banho de mar, pula cela, bombom
Tanque de areia, gnomo, sereia, pirata, baleia, manteiga no pão
Giz, merthiolate, band-aid, sabão
Tênis, cadarço, almofada, colchão
Quebra-cabeça, boneca, peteca, botão, pega-pega, papel, papelão
Criança não trabalha, criança dá trabalho
Criança não trabalha...
Lápis, caderno, chiclete, pião
Sol, bicicleta, skate, calção
Esconderijo, avião, correria, tambor, gritaria, jardim, confusão
Bola, pelúcia, merenda, crayon
Banho de rio, banho de mar, pula cela, bombom
Tanque de areia, gnomo, sereia, pirata, baleia, manteiga no pão
Criança não trabalha, criança dá trabalho
Criança não trabalha...
Giz, merthiolate, band-aid, sabão
Tênis, cadarço, almofada, colchão
Quebra-cabeça, boneca, peteca, botão, pega-pega, papel, papelão
Criança não trabalha, criança dá trabalho
Criança não trabalha...
1, 2 feijão com arroz
3, 4 feijão no prato
5, 6 tudo outra vez...
Lápis, caderno, chiclete, pião
Sol, bicicleta, skate, calção
Esconderijo, avião, correria, tambor, gritaria, jardim, confusão
Bola, pelúcia, merenda, crayon
Banho de rio, banho de mar, pula cela, bombom
Tanque de areia, gnomo, sereia, pirata, baleia, manteiga no pão

http://www.palavracantada.com.br/final/videos_youtube.aspx

Victor Hugo

Este poema é do Victor Hugo

Desejo primeiro que você ame,
E que amando, também seja amado.
E que se não for, seja breve em esquecer.
E que esquecendo, não guarde mágoa.
Desejo, pois, que não seja assim,
Mas se for, saiba ser sem desesperar.

Desejo também que tenha amigos,
Que mesmo maus e inconseqüentes,
Sejam corajosos e fiéis,
E que pelo menos num deles
Você possa confiar sem duvidar.
E porque a vida é assim,
Desejo ainda que você tenha inimigos.
Nem muitos, nem poucos,
Mas na medida exata para que, algumas vezes,
Você se interpele a respeito
De suas próprias certezas.
E que entre eles, haja pelo menos um que seja justo,
Para que você não se sinta demasiado seguro.

Desejo depois que você seja útil,
Mas não insubstituível.
E que nos maus momentos,
Quando não restar mais nada,
Essa utilidade seja suficiente para manter você de pé.

Desejo ainda que você seja tolerante,
Não com os que erram pouco, porque isso é fácil,
Mas com os que erram muito e irremediavelmente,
E que fazendo bom uso dessa tolerância,
Você sirva de exemplo aos outros.

Desejo que você, sendo jovem,
Não amadureça depressa demais,
E que sendo maduro, não insista em rejuvenescer
E que sendo velho, não se dedique ao desespero.
Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor e
É preciso deixar que eles escorram por entre nós.

Desejo por sinal que você seja triste,
Não o ano todo, mas apenas um dia.
Mas que nesse dia descubra
Que o riso diário é bom,
O riso habitual é insosso e o riso constante é insano.

Desejo que você descubra ,
Com o máximo de urgência,
Acima e a respeito de tudo, que existem oprimidos,
Injustiçados e infelizes, e que estão à sua volta.

Desejo ainda que você afague um gato,
Alimente um cuco e ouça o joão-de-barro
Erguer triunfante o seu canto matinal
Porque, assim, você se sentirá bem por nada.

Desejo também que você plante uma semente,
Por mais minúscula que seja,
E acompanhe o seu crescimento,
Para que você saiba de quantas
Muitas vidas é feita uma árvore.

Desejo, outrossim, que você tenha dinheiro,
Porque é preciso ser prático.
E que pelo menos uma vez por ano
Coloque um pouco dele
Na sua frente e diga "Isso é meu",
Só para que fique bem claro quem é o dono de quem.
Desejo também que nenhum de seus afetos morra,
Por ele e por você,
Mas que se morrer, você possa chorar
Sem se lamentar e sofrer sem se culpar.

Desejo por fim que você sendo homem,
Tenha uma boa mulher,
E que sendo mulher,
Tenha um bom homem
E que se amem hoje, amanhã e nos dias seguintes,
E quando estiverem exaustos e sorridentes,
Ainda haja amor para recomeçar.
E se tudo isso acontecer,
Não tenho mais nada a te desejar.

POETA - MANOEL DE BARROS

O poeta Manoel de Barros, matogrossense e cuiabano, está concorrendo ao prêmio BRAVO DE CULTURA. VAMOS VOTAR NELE.
Para votar é muito simplezinho, é só acessar o site clicando no link abaixo:
http://bravonline.abril.com.br/premio-bravo/2010/artista-bradesco-prime/?scrollto=topo
OBRIGADA!!!

domingo, 29 de agosto de 2010

EXEMPLO DE PLANEJAMENTO DE AULA DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA

CONTEÚDOS: O tempo e o espaço.
MATERIAL NECESSÁRIO: Giz, lápis, régua, planta de edifícios e quadro.
TEMPO ESTIMADO: 30 min.

OBJETIVOS:
• Reconhecer as características básicas do bairro em que vive e do trajeto entre sua casa e a escola;
• Representar diferentes situações do cotidiano construindo noções de espaço;
• Conhecer as noções básicas dos referenciais de localização, orientação e distância;
• Reconhecer as características básicas do bairro em que vive e do trajeto entre sua casa e a escola;
• Representar diferentes situações do cotidiano construindo noções de espaço;
• Conhecer as noções básicas dos referenciais de localização, orientação e distância;
• Modo de vida
• Espaço humano e paisagem local

DESENVOLVIMENTO:
1º etapa: Iremos fazer a roda de conversa para descobrir o que os alunos já sabem.
2º etapa: leitura do texto:
O Modo De Vida No Meu Bairro Ou Na Minha Cidade
Introdução
Depois que uma criança faz, digamos, 5 ou 6 anos, se ela ainda não vai à escola, deve ir. Em nossa sociedade, trata-se de um direito da criança e uma obrigação dos pais ou dos adultos responsáveis. O trabalho infantil é proibido. Um jovem com mais de 18 anos, se ainda não estiver estudando, deverá procurar um emprego e deverá se inserir no processo produtivo de nossa sociedade. Por vezes, mesmo ainda estudando, nessa época de sua vida, ele também trabalhará.

A vida, para nós, segue um rumo conhecido: na idade adulta as pessoas poderão constituir famílias ou não. Em geral constituem-na e continuam mantendo relações com a sua família de origem (pais, irmãos, tios, primos, avós). Onde as pessoas trabalharão? Há muitas possibilidades, mas em geral procuramos empregos em empresas que possuem donos, que, por sua vez, ao contratar um trabalhador, devem respeitar leis. Trabalhadores recebem salários sustentam suas vidas, pagam aluguel ou compram casas, compram alimentos, sustentam seus filhos etc.

Vivemos a maioria de nós, em cidades, em países que possuem governantes, que decidem e realizam ações que interferem na vida social e econômica.

Em sociedades democráticas, esses governantes foram eleitos para fazer o que fazem, desde que dentro das leis, dentro de regras.

Leis, regras, direitos, obrigações, rumos de vida, passagem da vida infantil e da adolescência para a idade adulta, a busca do emprego, as formas de sustentação material, o processo produtivo, o patrão que emprega e obtém lucros, a ação do Estado... Em nosso mundo, o funcionamento disso tudo segue um certo padrão, que se reproduz ao longo do tempo. Mas será que era assim há 200 anos? Será que é assim em todas as partes do mundo, com todos os povos? Não, não era e não é sempre assim! Nós somos assim, esse é o nosso modo de vida, o modo de vida das sociedades contemporâneas, o modo de vida dominante no Brasil, que não necessariamente está presente em todo o território. Será que podemos construir uma descrição do modo de vida presente em nossas vidas a partir de elementos que a paisagem local de um bairro de nossa cidade apresenta? É justamente isso que será explorado nesta seqüência.

Atividade:
Lembrando de sua casa:
Você vai procurar lembrar-se da casa onde você mora. DESENHE a frente, os lados e dentro da casa.

Agora, explique o que desenhou a seus colegas de grupo.

4º etapa: TAREFA PARA CASA:
Atividade

MINHA CASA – MINHA HISTÓRIA

Pergunte a seus pais, tios, avós ou outras pessoas da família sobre sua casa. Sempre foi assim? Fizeram algum tipo de reforma? Nesse caso, por quê?

ESCREVA ou DESENHE abaixo o que seus pais e pessoas com quem você conversou contaram. Anote o que disseram para lembrar-se na hora de contar para a classe:

ESCREVA ou DESENHE como era sua casa antes e como é hoje ou conte um pouco da sua história desenhando ou escrevendo sobre as casas onde você já morou.

AVALIAÇÃO:
• Identificar o trajeto entre sua casa e a escola apontando aspectos inerentes ao espaço percorrido;
• Representar diferentes situações do cotidiano construindo noções de espaço;

Jogos de Matemática

JOGO BARALHO DE OVOS

Material:
• 12 cartas com ovos inteiros ou quebrados desenhados (cartolina ou papelão);
• 54 ovos, sendo 12 para cada jogador e 06 colocados na cesta no começo do jogo;
• Uma cesta para os ovos.

Objetivo:
O objetivo do jogo Baralho dos ovos é fazer com que os alunos aprendam adição e subtração.

Número de Participantes: 04

Regras:
As cartas são colocadas com as figuras para baixo e cada participante, na sua vez, sorteia uma carta. Se, por exemplo, o primeiro jogador sorteia uma carta que tiver 4 ovos inteiros, ele coloca 4 ovos na cesta, mas, se tirar 4 ovos quebrados, deve retirar 4 ovos da cesta. Quando a jogada não for possível, passar a vez;
O vencedor será quem ficar sem ovos na mão.

Retirado do Livro Didático de:
AZEVEDO, Maria Verônica Rezende de. Matemática através dos jogos. São Paulo: Atual, 1994.

VOCÊ APRENDE

video

Jogos para não alfabetizados

BINGO DE LETRAS

Objetivo:
O objetivo deste jogo é o reconhecimento das letras do alfabeto.

Organização para o jogo:
Individual. Número de jogadores variável

Regra do jogo:
Distribua as cartelas do bingo. Cada aluno escolhe, dentre suas letras móveis, 11 para colocar nas “casas” da cartela. Veja se os alunos conhecem bingo; a novidade deste é que cada um “monta” sua própria cartela.
Providencie um alfabeto em tamanho que possa ver visto pela classe ou pelo grupo (podem ser as letras dos cartezetes) e coloque numa caixa ou saquinho; vá retirando uma letra de cada vez, dizendo seu nome e mostrando-a a todos; os alunos que tiverem aquela letra na cartela põem um marcador sobre ela. Ganha a rodada quem primeiro marcar todas as letras de sua cartela. Aquele que primeiro preencher sua cartela com marcadores grita “Bingo!” e ganha o jogo.

Recursos necessários:
Cartelas de bingo, letras móveis, marcadores (grão de feijão ou tampinha), alfabeto em tamanho grande.

Declaração aos meus amigos

Ces são o colírio do me ôiu.
São o chiclete garrado na minha carça dins.
São a maionese do meu pão.
O limão da minha caipirinha.
O rechei do meu biscoito.
A masstumate do meu macarrão.
A pincumel do meu buteco.

Nossinhora!
Gosto domais da conta docêis, uai.

Ces são tamém.
O videperfume da minha pintiadêra.
O dentifriço da minha iscovdidente.

Ôiproceisvê,
Quem tem amigos assim, tem um tirôsu!

Eu guárdesse tisouro, com todo carinho,
Do lado esquerdupeito!!!
Dentro do meu coração!!!

AMOOCÊIS PADANÁ!!!
Bejim e inté.

sábado, 21 de agosto de 2010

Luiz Fernando Veríssimo

O tutor do PET-Educação nos mandou um texto muito legal do Luiz Fernando Veríssimo intitulado "Um homem Inteligente Falando das Mulheres" que resolvi compartilhá-lo com vocês. Divirtam-se!!!

Um homem Inteligente Falando das Mulheres

O desrespeito à natureza tem afetado a sobrevivência de vários seres e entre os mais ameaçados está a fêmea da espécie humana.
Tenho apenas um exemplar em casa,que mantenho com muito zelo e dedicação, mas na verdade acredito que é ela quem me mantém. Portanto, por uma questão de auto-sobrevivência, lanço a campanha 'Salvem as Mulheres!'
Tomem aqui os meus poucos conhecimentos em fisiologia da feminilidade a fim de que preservemos os raros e preciosos exemplares que ainda restam:

1. Habitat
Mulher não pode ser mantida em cativeiro. Se for engaiolada, fugirá ou morrerá por dentro. Não há corrente que as prenda e as que se submetem à jaula perdem o seu DNA. Você jamais terá a posse de uma mulher, o que vai prendê-la a você é uma linha frágil que precisa ser reforçada diariamente.

2. Alimentação correta
Ninguém vive de vento. Mulher vive de carinho. Dê-lhe em abundância. É coisa de homem, sim, e se ela não receber de você vai pegar de outro. Beijos matinais e um 'eu te amo’ no café da manhã as mantém viçosas e perfumadas durante todo o dia. Um abraço diário é como a água para as samambaias. Não a deixe desidratar. Pelo menos uma vez por mês é necessário, senão obrigatório, servir um prato especial.

3. Flores
Também fazem parte de seu cardápio – mulher que não recebe flores murcha rapidamente e adquire traços masculinos como rispidez e brutalidade.

4. Respeite a natureza
Você não suporta TPM? Case-se com um homem. Mulheres menstruam, choram por nada, gostam de falar do próprio dia, discutir a relação? Se quiser viver com uma mulher, prepare-se para isso.

5. Não tolha a sua vaidade
É da mulher hidratar as mechas, pintar as unhas, passar batom, gastar o dia inteiro no salão de beleza, colecionar brincos, comprar muitos sapatos, ficar horas escolhendo roupas no shopping. Entenda tudo isso e apoie.

6. Cérebro feminino não é um mito
Por insegurança, a maioria dos homens prefere não acreditar na existência do cérebro feminino. Por isso, procuram aquelas que fingem não possuí-lo (e algumas realmente o aposentaram!). Então, aguente mais essa: mulher sem cérebro não é mulher, mas um mero objeto de decoração. Se você se cansou de colecionar bibelôs, tente se relacionar com uma mulher. Algumas vão lhe mostrar que têm mais massa cinzenta do que você. Não fuja dessas, aprenda com elas e cresça. E não se preocupe, ao contrário do que ocorre com os homens, a inteligência não funciona como repelente para as mulheres.

Não faça sombra sobre ela
Se você quiser ser um grande homem tenha uma mulher ao seu lado, nunca atrás. Assim, quando ela brilhar, você vai pegar um bronzeado. Porém, se ela estiver atrás, você vai levar um pé-na-bunda.

Aceite: mulheres também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar. O homem sábio alimenta os potenciais da parceira e os utiliza para motivar os próprios. Ele sabe que, preservando e cultivando a mulher, ele estará salvando a si mesmo.

Só tem mulher, quem pode!

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

GRANDES POETAS

Contando Histórias

Soneto de felicidade
de Vinicius de Moraes.
De todo, ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto.
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento.
E em louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto.
Ao seu pesar ou seu contentamento.

E assim, quanto mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive.
Quem sabe a solidão, afim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

MOMENTO DE LAZER
Autopsicografia
Fernando Pessoa

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chegar a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de cordas
Que se chama coração.

Luis Vaz de Camões

Amor é fogo que arde sem se ver,
é ferida que dói, e não se sente;
é um contentasse descontente,
é dor de que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
é um andar solitário entre a gente;
é nunca contentar-se de contente;
é um cuidar que ganha em se perder.

É querer estar preso por vontade;
é servir a quem vence, o vencedor;
é ter com quem nos mata, lealdade.

Mas como causar pode seu favor
nos corações humanos amizade,
se tão contrário a si é o mesmo amor?

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

ECO-BRINQUEDOS

IDÉIAS PARA CONFECÇÃO DE BRINQUEDOS DE SUCATA
CRIADOS POR ZA MIRA DA ECO-BRINQUEDOTECA.

TOCA DO COELHOFANTOCHES
Novas Idéais

quinta-feira, 29 de julho de 2010

PROJETO ALFABETIZAR

PROJETO ALFABETIZAR

O projeto de extensão e pesquisa “ALFABETIZAR” coordenado pela Profª Drª Ana Lúcia Vilela, que está sendo desenvolvido no Centro Cultural Favela Ativa, localizado no bairro Jardim Vitória - Cuiabá, MT.
Tem como objetivo contribuir com a alfabetização de alunos dos 2º anos da EMEB Orzina de Amorim Soares localizada no mesmo bairro. Nossa meta é que todos os alunos ao findar o ano estejam alfabetizados.
Atendemos a principio um total de 50 alunos encaminhados pela escola, no contra turno das aulas, na terça e quarta-feira com 3 horas de duração por dia.
O Projeto que faz parte do plano de ação do Programa de Educação Tutorial – PET/UFMT para o ano de 2010, envolve 05 bolsistas e objetiva aperfeiçoar a nossa aprendizagem profissional vivenciando e atuando em realidades complexas.
Sabedores que o processo de formação de um professor exige que conheça as diferentes concepções e práticas pedagógicas vigentes, e por meio desses projetos podemos ter uma formação mais qualificada.

PAPEL DOS PAIS / RESPONSÁVEIS DOS ALUNOS:

 Mandar as crianças para o acompanhamento;
 Mandar para a escola;
 Respeitar o início e término das aulas;
 Verificar se as crianças realizam as tarifas;
 Incentivá-los a fazer tarefas e a ir às aulas;
 Ajudar nas atividades;
 Ajudar com os lanches das crianças, mandando gêneros alimentícios ou fazendo os lanches;
 Ajudar (quinzenalmente) na conservação e melhoria do espaço;
 Comparecer nas reuniões mensais para conhecer as melhorias de aprendizagem das crianças;
 Comparecer neste local sempre que precisar ou quiser para relato de dificuldades, melhorias, solicitação, sugestões, preferencialmente no horário de término das atividades;
 Dispor a ajudar;
 Ensinar para as crianças o zelo pelos materiais;
 Trazer copo e caneca para beberam água, chá, suco, etc.

CRONOGRAMA DE ATIVIDADES:
Dia: Terça e quarta
Período:
 matutino – das 7h30min ás 10h30min;
 vespertino – das 13h30min ás 16h30min.

NÚMERO DE ALUNOS POR PERÍODO:
 Matutino – 20 alunos;
 Vespertino: 30 alunos.

CONTATO:
Francinalda Pereira – Grupo PET – Educação/IE/UFMT
Email : francinaldapereira@hotmail.com

terça-feira, 27 de julho de 2010

Curso de Preparação de Brinquedista e Organização de Brinquedotecas

Participei de 19 a 23 de julho de 2010 participei do curso de Preparação de Brinquedista e Organização de Brinquedotecas - na Associação Brasileira de Brinquedotecas - ABBri - localizado na cidade de São Paulo.
com 40 horas de duração.



segunda-feira, 28 de junho de 2010

OPINIÃO

O ENEM ESTÁ DE VOLTA: ESTUDANTES, FAÇAM SUAS APOSTAS!

Darci Secchi*

Estão abertas as inscrições para a Copa ENEM 2010. A UFMT deverá manter os mesmos critérios do ano passado. A decisão é controversa e foi sintetizada com maestria por um calouro recém convocado: “Bisar o bizarro é bisonho e bice-bersa...”. Criativo!

A novidade desta vez é que a administração superior não foi pega de calças curtas. Agora conhece o conteúdo do pacote. Se segue abdicando do direito de escalar o time, tem suas razões, imagino.

Os estudantes também parecem conformados. Como acontece em outros rituais de passagem, os neófitos aceitam se submeter a procedimentos aparentemente estúpidos - no caso, a uma guilhotina virtual - porque sabem que ela determina o lugar que ocuparão no cenário acadêmico. O que fazer se a regra é essa!... Pois então, que venha o ENEM com sua parafernália de editais, senhas, códigos, ranques e todas as convocações possíveis, no tempo regulamentar e na prorrogação. Outra chance, só no próximo ano.

Sob essa ótica, os calouros vivem a nova experiência estudantil de formas bem distintas. Compartilho aqui algumas expressões que escutei nos últimos meses: “Foi um sonho realizado; Vivo um inferno; Estou me energizando; Me sinto aliviado; Acho tudo isso um porre; Estou num momento adverso; Espero que a chuva passe” e por aí vai...

Como se percebe, o modelo de classificação do ENEM resulta em turmas, ou melhor, em aglomerado de alunos encantados e desencantados, aflitos e conformados, desanimados e esperançosos, enfim, com sentimentos e expectativas contraditórias que tendem a ser dirimidas com o tempo. Enquanto isso, os Cursos seguem seu curso.

Visto de perto, esse caminho parece coerente, uma vez que possibilita aos calouros manter um vínculo institucional enquanto aguardam o resultado dos próximos exames. Quem estiver insatisfeito ou incomodado pode se retirar a qualquer tempo ou aguardar o próximo ano!...

É evidente que essa forma peculiar de resolver problemas pode trazer consequências indesejadas para as políticas educacionais. Vejamos alguns dados recentes colhidos dentre os estudantes de Pedagogia classificados no último ENEM:

a) Das 45 vagas abertas no período matutino, apenas 40 foram efetivamente ocupadas. A desejada ‘ampliação de vagas’ não se concretizou;

b) Após três meses de aulas, já ocorreram doze desistências, isso é, mais de 25% das vagas abertas, o que corresponde ao triplo da média histórica para os quatro anos do Curso;

c) Dos 39 estudantes que chegaram a freqüentar a sala de alua, 84% (33 pessoas) afirmaram que não tinham o Curso como primeira opção e 81% não o tinham nem como segunda opção. Menos de 20% queriam Pedagogia, os demais efetuaram matrícula apenas para garantir o vínculo;

d) Perguntados sobre a participação num novo ENEM, 38% (15 pessoas) declararam que certamente farão o exame e 10 estudantes (26%), que provavelmente o farão. Apenas 14 estudantes (36%) declararam que não pretendem se inscrever neste ano;

Por fim, dados surpreendentes que indicam o aumento de 250% da presença masculina no Curso. O mesmo percentual verifica-se para estudantes já graduados. Teriam os homens e os profissionais de outras áreas descoberto o prazer de trabalhar como ‘tios’ na educação infantil, ou como alfabetizadores nos anos iniciais do ensino fundamental? O futuro dirá! Como se vê, é hora de novas apostas!

Em tempo: Pedagogia é um Curso consolidado na UFMT, com prestígio e demanda crescentes. Foi classificado entre os melhores pela avaliação do MEC e apresenta um coeficiente de desempenho excelente. Tal condição foi alcançada em parceria com o Programa de Mestrado e Doutorado em Educação após décadas de dedicação e comprometimento de toda a comunidade educativa. A recente mudança nos critérios de seleção dos alunos promovida pelo ENEM poderá solapar essas conquistas.

PS: Enquanto relia este texto, fui informado que mais uma aluna desistiu do Curso. Agora já são 13 baixas em apenas três meses... Treze desistências.

Treze, um número emblemático!

*Darci Secchi, doutor em Antropologia, professor do IE/UFMT

quinta-feira, 24 de junho de 2010

PROJETO ALFABETIZAR

Grupo de bolsista do PET-Educação UFMT, estão desenvolvendo o "Projeto Alfabetizar" no bairro Jardim Vitória, sobre a orientação da profª Drª Ana Lúcia Vilela. Trabalhamos com alunos da 2ª série da EMEB  Orzina Amorin Soares.

quarta-feira, 10 de março de 2010

A HORA DO LANCHE

Atividade de motricidade.
Receitas práticas que servem para serem utilizadas na Educação Especial.

BISCOITO

Ingredientes:

4- colheres (de sopa) de açúcar.
2- colheres (de sopa) de fermento.
2- colheres (de sopa) de margarina.
1- ovo inteiro.
Uma pitada de sal.
3- xícaras (de chá) de farinha de trigo.
½- xícara (de chá) de leite.

OPCIONAL

Coco ralado, açúcar cristal colorido (azul, vermelho ou outras cores)

MODO DE PREPARO

Misture todos os ingredientes até a massa ficar homogênea e consistente.
Durante o preparo devemos orientar os alunos à utilizarem pequenas porções da massa para moldelarem os biscoitos de acordo com sua vontade, podem ser compridos, circulares, redondos, chatos ou quadrados sempre respeitando o tempo e o grau de comprometimento motor de cada um.

 


MÃOS QUE AJUDAM - ALA CUIABÁ-ESTACA CUIABÁ - 2009.

MEMBROS DE
"A IGREJA DE JESUS CRISTO DOS SANTOS DOS ÚLTIMOS DIAS"
ALA CUIABÁ-ESTACA CUIABÁ.
REALIZANDO NA APAE - CUIABÁ/MT O
MÃOS QUE AJUDAM - 2009.

SOCIEDADE DE SOCORRO                                                      
ANTES  
                                      
DEPOIS   
                        
ANTES                                                                   

DEPOIS  


Follow by Email